Audiência Publica discute hoje na Câmara Municipal a poluição sonora em Ipiaú

 

Provocada pelo elevado nível de ruídos, emitidos, em sua maioria, por atividades humanas, a poluição sonora é um mal que atinge a comunidade de um modo geral e precisa ser combatido sistematicamente. Ela se destaca como um problema de saúde pública que vem causando graves prejuízos físicos e psicológicos às pessoas e contribuindo para o desequilíbrio ambiental, além do desencadeamento da violência.

 Muitas cidades já adaptaram suas legislações para disciplinar a questão, racionalizando a emissão de ruídos, sons indesejáveis, desagradáveis e perturbadores. Agora chegou a vez de Ipiaú.  É neste sentido que  acontece nesta segunda-feira,  19 de novembro, às 20 horas, no Salão do Plenário da Câmara Municipal, uma Audiência Publica, promovida pela Comissão de Meio Ambiente da subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil-OAB e conta com o apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas -CDL- de Ipiaú.

O evento tem o objetivo de apresentar o Projeto que atualiza a Lei Municipal nº1. 808 que dispõe sobre a questão da poluição sonora, apresentando alternativas para reduzi-la no âmbito do município.

                                    PALESTRAS

No decorrer da audiência será apresentado um ciclo de rápidas palestras que abordam diversos aspectos do problema e apontam soluções para deixá-lo em níveis aceitáveis pela população.

O advogado Paulo Gomes de Novaes explanará a respeito dos limites de emissão sonora em outros municípios e estados, enquanto o Capitão PM, Iranildo Brito ( sub comandante de 55ª CIPM, explicará como a poluição sonora contribui com o aumento de crimes de maior potencial ofensivo.

 Por sua vez o secretário municipal do Meio Ambiente, Elvidio Júnior, abordará os aspectos físicos da propagação sonora e as conseqüências do excesso de som. Já o médico Talma Reis Filho mostrará porque a poluição sonora é uma questão de saúde publica.

Estresse, surdez, depressão, insônia, agressividade, perda de atenção e concentração, perda de memória, dor de cabeça, cansaço, gastrite e ulcera, queda de rendimento escolar e no trabalho, taquicardia e até redução da libido são algumas doenças provocadas pelo excesso de ruídos. (Giro/José Américo Castro).



Conte-nos sua opinião